historia

A educação é plural. É necessário considerar as características de cada aluno, valorizar as habilidades dele e promover a conquista de mais competências. O Centro Universitário de Formiga atingi esses objetivos, por meio de projetos inovadores, interdisciplinares e dinâmicos, sob as perspectivas da diversidade e da inclusão. A equipe da 2ª edição do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) implementa ações a fim de instrumentalizar os atores do processo de ensino e aprendizagem.

A Coordenadora Institucional do Programa, Profa. Dra. Lilia Rosário Ribeiro, destacou que discentes e professores dos cursos de Educação Física (Licenciatura) e Pedagogia atuam de forma multidisciplinar para atender às escolas conveniadas de ensino Fundamental e Médio. São realizadas monitorias, peças teatrais, palestras, contação de histórias e práticas esportivas, de acordo com a demanda e com o plano de atividades proposto à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). “Os trabalhos são conduzidos com ética, profissionalismo e competência, permitindo a melhoria da qualidade de ensino e uma maior aproximação dos acadêmicos com a realidade da rede pública”, afirmou.

O Prof. Me. José Carlos Leal, que leciona na graduação em Educação Física, considera que o desafio deste novo edital é a interdisciplinaridade. “As ações conjuntas entre os cursos visam conhecer e alterar a realidade das escolas”, complementou.

A Profa. Maria Francisca Lopes, da área de Pedagogia, está satisfeita com os resultados. “Foi possível elaborar propostas interdisciplinares específicas de intervenção escolar, psicomotricidade e atividades culturais”, pontuou.

O supervisor de Educação Física Robson Almeida (Escola Estadual Aureliano Rodrigues Nunes) explicou que, com os meios alternativos de trabalho e as formas diversificadas de abordar os conteúdos, há resultados positivos.

A supervisora Profa. Maíza Kelly de Carvalho Silva (subprojeto de Pedagogia da Escola Estadual José Bernardes de Faria) citou como benefício do PIBID a reorganização da brinquedoteca, espaço propício para desenvolver o imaginário e a psicomotricidade das crianças. Já a supervisora Juscemília Alcântara (Escola Municipal Papa Pio XII) elogiou os projetos de Intervenção Pedagógica e da Hora do Conto.

 

RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA

rp 2

O Programa Residência Pedagógica (RP) da CAPES possibilita aos acadêmicos (residentes) a prática nas escolas, a fim de implementar projetos de pesquisa para investigar problemas educativos e realizar intervenções pedagógicas criativas, interdisciplinares e condizentes com a realidade. É composto por três etapas: Ambientação, para conhecimento da realidade e da cultura escolar; Imersão, para aplicação de projetos específicos de intervenção pedagógica e regência de sala de aula; Registro/Avaliação das atividades por meio de relatório.

O preceptor de Educação Física Sirley Oliveira (Escola Estadual Jalcira Santos Valadão) comentou que ocorrem na unidade oficinas de xadrez, vôlei, handebol e basquete, o que estimula os residentes. Já a preceptora de Pedagogia Rosana Bitencourt (Escola Estadual Rodolfo Almeida) explicou que os discentes atuam em parceria com os professores regentes. Ela contou que são confeccionados materiais pedagógicos, oferecido reforço escolar, organizadas horas cívicas e eventos comemorativos.

Para o preceptor de Biologia Fellipe Pinheiro (Escola Estadual Professor Joaquim Rodarte), o acadêmico vivencia a prática de docente, com reuniões pedagógicas, aulas teóricas e práticas, produção e execução de projetos. Lurian Leal, da graduação em Ciências Biológicas, tem experiência no PIBID e realiza suas ações na Escola Estadual Dr. Abílio Machado. “Na Residência, há o aperfeiçoamento da minha didática”, ponderou.

Luiz Gustavo de Camargos e Amanda Rodrigues Nogueira Melo, residentes de Educação Física na Escola Estadual Jalcira Santos Valadão, informaram que o RP tem como meta proporcionar melhorias para a comunidade escolar. Nayara Ferreira Favarini, preceptora de Pedagogia na Escola Estadual Aureliano Rodrigues Nunes, disse que o Programa aproxima os residentes da realidade da profissão.                  

Débora Favarini, residente de Pedagogia na Escola Estadual Aureliano Rodrigues Nunes, definiu que o clima na unidade de ensino é de ajuda mútua, confiança, amizade e responsabilidade por parte dos acadêmicos, funcionários, professores e equipe gestora.

O Coordenador Institucional do Programa Residência Pedagógica, Prof. Dr. Heslley Machado Silva, salientou que o RP proporciona uma formação singular, que une a teoria à prática, viabiliza a vivência na escola e, principalmente, na sala de aula. “Toda a equipe do UNIFOR-MG, coordenadores, secretaria estão unidos para que o RP continue um sucesso, com o desenvolvimento de mais projetos nas escolas e que colabore para incrementar a educação em Formiga”, afirmou.

AVISE-ME. Receba informações sobre o Vestibular UNIFOR-MG
Autorizo receber newsletter do UNIFOR-MG.