historia

Cerca de vinte alunos do curso de Direito do UNIFOR-MG participaram, no dia 18 de agosto, no Fórum Magalhães Pinto, do julgamento pelo Tribunal do Júri dos três acusados pelo homicídio de Rosana Aparecida de Faria. O crime ocorreu no Bairro Geraldo Veloso, em Formiga, em janeiro de 2014.

O réu A.A.P.O. foi assistido pelo Núcleo de Práticas Jurídicas do Centro Universitário. O Conselho de Sentença entendeu, por maioria de votos, pela condenação dos três denunciados. No entanto, a pena de A.A.P.O. foi fixada em seu patamar mínimo de 12 anos de reclusão, a serem cumpridos em regime inicialmente fechado, tendo em vista que foi decotada a qualificadora do “meio cruel”, além de terem sido consideradas, ainda, duas atenuantes genéricas, quais sejam, confissão espontânea e menoridade de 21 anos ao tempo do crime, subsistindo as outras duas qualificadoras da denúncia de motivo torpe e de recurso que dificultou a defesa da vítima.

O julgamento foi acompanhado pela equipe do NPJ: coordenador Prof. Me. André Hostalácio Freitas, advogada Profa. Ma. Adriana Costa Prado Oliveira, advogado Prof. Me. Lucas Chaves Mascarenhas, estagiário Sávio Ribeiro Oliveira, estagiária Flávia Luíza Faria.

Além da experiência obtida pelos alunos no júri, a estagiária do NPJ Flávia Luíza Faria colaborou na defesa de A.A.P.O.. Ela falou sobre a importância de atuar no Núcleo: “Conseguimos aliar teoria e prática, o que nos prepara para sermos profissionais completos. Contamos com a assistência e supervisão constante dos advogados, o que aumenta ainda mais o nosso conhecimento”, ressaltou.

AVISE-ME. Receba informações sobre o Vestibular UNIFOR-MG
Autorizo receber newsletter do UNIFOR-MG.