logo

0800 283 0494

facebookyoutubetwitterinstagran

MUDE PARA O UNIFOR-MG

40% DE DESCONTO NA OBTENÇÃO DE NOVO TÍTULO 

CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE GRATUITAMENTE

historia

O Dr. Elias Alves da Silva, egresso do curso de Ciências Biológicas (Licenciatura), defendeu a tese Pré-tratamento da biomassa lignocelulósica de cachos vazios de dendê (Elaeis spp.) por macro-basidiomicetos: Cultivo e caracterização genômica, no Programa de Biotecnologia Vegetal da Universidade Federal de Lavras (UFLA). O estudo foi realizado na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa Agroenergia, em Brasília, sob a orientação do Dr. Manoel Souza e do Dr. Félix Siqueira.

A pesquisa teve como objetivo selecionar fungos de podridão branca da biodiversidade cerrado brasileiro (fungos macro-basidiomicetos) para utilização no pré-tratamento biológico do cacho vazio de dendê (Elaei s spp). O Dr. Elias Alves da Silva contou que a dendecultura tem alta produtividade no País e gera anualmente milhões de toneladas de resíduos lignocelulósicos, entre eles, o cacho vazio, após debulhar dos frutos.

O entrevistado argumentou que, para aproveitamento desse tipo de biomassa como fonte de açúcares fermentescíveis, etanol, por exemplo, é necessário o emprego de pré-tratamentos para contornar a recalcitrância promovida pela lignina. Ele disse que os fungos macro-basidiomicetos apresentam capacidade de despolimerizar a lignina por meio de enzimas específicas (ligninolíticas).

“Para o estudo, foi feita uma triagem das melhores linhagens da coleção de fungos da Embrapa Agroenergia, utilizando cultivos na biomassa e obtenção de extratos enzimáticos. Foram sequenciados e anotados os genomas do material selecionado, evidenciando um grande repertório de enzimas envolvidas na desconstrução da biomassa lignocelulósica”, explicou.  

Formação

Em 2010, na graduação em Ciências Biológicas, o Dr. Elias Alves da Silva desenvolveu, com a Profa. Dra. Cláudia Nogueira, um trabalho de Iniciação Científica sobre plantas medicinais. “Foi uma experiência incrível que me levou ao Mestrado em Plantas Medicinais Aromáticas e Condimentares e ao Doutorado. O UNIFOR-MG, por intermédio de seu corpo docente, faz a diferença na vida de muitos que procuram crescimento pessoal e profissional”, ressaltou.

Recentemente, o pesquisador e sua esposa Vivianny Nayse Belo Silva abriram, em Brasília, a empresa QUALIS BIOTEC – Consultoria em Biotecnologia Ltda. e atuam em projetos sobre plantas e microrganismos da Embrapa Agroenergia.

 

AVISE-ME. Receba informações sobre o Vestibular UNIFOR-MG
Autorizo receber newsletter do UNIFOR-MG.